A forma que vem ocorrendo a expansão urbana de Porciúncula me preocupa. Principalmente pelo fato do município sequer possuir qualquer instrumento que norteie esse crescimento, a exemplo do Plano Diretor.

Está certo que o Plano Diretor por si só não resolve, porém, é um passo importante para orientar os caminhos, inclusive futuras legislações.

Vou repetir mais uma vez o que digo há anos. Pela posição geográfica da cidade, pelos investimentos da última década em pavimentação rodoviária e em virtude da situação das cheias do Rio Carangola é preciso, com urgência, fazer um diagnóstico dos vetores de expansão urbana e revisão da legislação urbana em vigor, assim como a elaboração de novos instrumentos legais que possibilitem o poder público municipal coordenar e ordenar melhor esse crescimento. Não podemos esquecer que quase 70% da malha urbana infraestruturada de Porciúncula é afetada com as inundações do Rio Carangola e esse quadro não pode ser agravado.